terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Entrevista com a escritora Camila Monteiro

Para quem curte gênero de ação, romance e policial, encontrará tudo em um só livro, O Acumulador de Troféus,  da autora Camila Monteiro. Acompanhe nosso bate papo e conheça um pouco mais sobre seu livro e sua vida literária. 


 

O ACUMULADOR DE TROFÉUS é um livro sobre contra a violência da mulher?

Não. Definitivamente não. Maria (Protagonista) realmente sofre com esse problema e eu abordo esse tema durante uma boa parte do livro, mas não é sobre isso o meu romance. A história gira em torno dos problemas ao redor da Fazenda onde ela mora e sofrer com seu marido é só um dos agravantes para ela.

Fale um pouco sobre Maria, a protagonista da estória.

Maria é uma mulher forte e decidida, que deixou sua família para se casar com Lalau por amor. Mudou-se para uma das maiores fazendas do Estado de Goiás, muito longe de casa  e com o tempo viu-se sozinha tendo que lidar com o alcoolismo do marido e outros problemas ao redor de sua fazenda.
Acredito que Maria é como muitas mulheres nesse país ainda, que sabem o que querem, mas por medo se conservam submissas. Mas volto a dizer, mesmo que ela seja obrigada a passar por essa fase de agressões e alcoolismo do seu marido, esse é só um dos problemas que ela enfrentará!




Quem são os personagens principais, o que eles vivem?

Bem, Já falei de Maria e de seu marido Lalau. O casal tem duas filhas pequenas que terão que lidar com problemas além de sua capacidade, como mortes, sequestro e desaparecimentos. Cada uma delas lidará de uma forma diferente.
Tem também Dani, irmã de Maria que vem de São Paulo para ajudar e trás de volta à nossa protagonista uma incrível força para seguir em frente.
Quando corpos são encontrados na fazenda de Maria, dois policiais assumem a investigação e se tornam muito importantes na história. Um deles acaba se tornando muito amigo dessas duas mulheres. Certamente essa dupla vai conquistar muitos leitores.
Temos Geraldo também, que chega à cidade com um novo tipo de comércio e acaba conquistando Maria que precisa muito de amigos. A relação dos dois é bem interessante. E mais outros personagens secundários que são bem importantes para a trama e certamente vão conquistar o leitor.

Quantos livros você já escreveu? Quais?

Esse é meu primeiro publicado. Já estou trabalhando na minha segunda obra há algum tempo e certamente será uma trilogia. Mas entre um trabalho e outro gosto de escrever contos e tenho vários publicados de forma digital, na Amazon e no meu site (www.camilabmonteiro.com).

domingo, 1 de dezembro de 2013

Entrevista com o autor Sergio Carmach

E para iniciarmos o domingo, resolvi posta a entrevista que fiz com o escritor de Para sempre Ana. História linda e envolvente. 
Acompanhe nosso bate papo e se apaixone por essa emocionante aventura em Três Luzes.



Por que escrever?

Olá, Iris. Em primeiro lugar, agradeço a oportunidade de estar aqui compartilhando um pouco de mim e de minha obra com seus leitores. Bem, respondendo à primeira pergunta, eu diria que escrevo para ter e proporcionar prazer (e quem não faz isso? rsrs). Infelizmente, nem sempre o autor consegue satisfazer a si próprio e ao leitor com um texto, e a tentativa de fazer essa adequação talvez explique o mercado editorial entulhado de mesmices. Se me vejo diante do conflito entre ter e proporcionar, fico com o primeiro, pois acredito que as melhores obras (e as mais originais) brotam de escritores fieis a si próprios e que ousam desafiar a pasmaceira reinante na literatura estritamente comercial.

Para Sempre Ana fala de um amor perdido no tempo? O que a trama deseja passar para o leitor?

No decorrer da história, o leitor descobre que nela não há apenas um amor, mas uma intrincada cadeia de amores envolvendo os habitantes da pequena Três Luzes. A trama, porém, não está centrada nisso. A meu ver, o interessante é perceber as máscaras de cada personagem caindo uma a uma, é ver como alguns conseguem amadurecer em meio ao sofrimento, é notar que todos têm o bem e o mal dentro de si, é captar as entrelinhas da história...


O que você sente ao saber que alguém leu sua obra, gostou e indicou?

Se alguém digitar no Google as tags “Para Sempre Ana” (entre aspas) e “surpreendente”, verá uma grande quantidade de resultados, pois muitos leitores e blogueiros literários, gostando ou não do livro, classificam a obra com esse adjetivo. Eu prefiro surpreender a agradar, embora seja ótimo ver o leitor terminar a leitura agradavelmente surpreendido. Mas livros não devem ser escritos para agradar de forma unânime; os que têm essa característica são, em geral, medíocres, pois costumam apostar em fórmulas óbvias e estruturas simples.

Quando você escreve, onde encontra inspiração?

Inspiração é algo que não dá para explicar. Surge inesperadamente em qualquer lugar e a qualquer hora, muitas vezes sem uma fonte identificável.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

O contrário de Roma

Minha primeira resenha...


Escolhi o livro, O contrário de Roma, do autor Fernando Mendez
Somos todos loucos!





      O Contrário de Roma é realmente o contrário do que eu imaginava.
      A forma envolvente e meio ilógica que o autor escolheu para contar algo, inicialmente muito interessante, me fez pensar e viver um pouco num conflito de uma terrinha que se dividia fronteiras com mais três terras, lugares até bem conhecidos no Brasil.
      Por um momento achei a parte que fala da moça, ou da obsessão por ela, um pouco cansativa e, talvez seja isso mesmo. Uma obsessão para quem sente é interessante, mas para quem não vive é maçante. Mas, depois dessa parte, a história volta a ter meu interesse, pois volta a continuar o que faltava do início, embora a parte de Vela seja importante para entender o que se prossegue, que explica muito bem sobre o outro tipo de fé. É quando começo a entender o início do livro.  Isso sim é a parte da questão!

      Depois de conhecer um pouco sobre alguns ilustres moradores de Romaria, me perdi no decorrer da discrição do protagonista por uma moça até então desconhecida, porém que toma conta de seus pensamentos de uma forma louca e constante.
      O interessante é que você lê em forma coloquial, que confunde um pouco para quem não está acostumado, porém se dá uma pitada de comédia na trama.
      E mais uma vez a loucura toma conta de tudo. Porém, o narrador é mais claro, pelo menos pra mim. Essa parte cansativa tem um pouco do cansaço que vivemos em sermos tão redundantes ao falar de algo ou alguém que gostamos, não é mesmo? Falar sobre um sentimento novo e muitas vezes complexo que, nos faz pensar e talvez, falar mais que o normal.

      No entanto, se você persiste em ler até o fim, se surpreenderá com a forma divertida que o autor expressa seu sentimento e suas emoções, nos deixando participar mais de tudo, principalmente de suas dúvidas, nos surpreendendo com os acontecimentos que a vida (ou seria o destino?) nos faz passar. A cada novidade, a cada descoberta, uma certeza: somos todos loucos!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Entrevista com a Escritora M.C Jachnkee Marli

Para quem gosta de viajar e conhecer as maravilhas dos lugares mais inacreditáveis, precisa ler AMAZÔNIA Um Caminho para o Sonho da autora  M C Jachnkee Marli.

Que sentimento é alimentado ao escrever?

O sentimento de estar realizando um importante papel no mundo. Saber que através dos meus livros eu levo entretenimento e agrego aquele algo a mais para o leitor, é simplesmente maravilhoso.

Por que Amazônia?

Percebi que muitas pessoas têm uma ideia equivocada sobre a região, decidi oferecer essa oportunidade de mudança aos meus leitores, e acabei aprendendo também.

Que tipo de conhecimentos o grupo de amigos, encontrarão na viagem para incrível Amazônia?

Será um conhecimento histórico, cultural e emocional. Uma viagem inesquecível que os levará a um novo rumo na vida.


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Entrevista com o Escritor Celso Innocente

                  Para quem costuma relembrar dos bons tempos, em que brincar na rua era seguro, que tal conhecer a estória que o autor Celso Innocente, nos conta com muito carinho e ternura, Anjo da cara suja?
Acompanhe nosso bate papo e fique por dentro de sua encantadora coleção de livros.


Por que escrever?
— Desde as primeiras redações escolares, percebi que escrever seria o que chamamos meu sonho de criança. Embora sem muito conhecimento de nossa complicada Língua Portuguesa, escrevi meu primeiro conto aos treze anos de idade, o qual foi revisado por uma prima ainda mais jovem do que eu.

Anjo da cara suja é um trabalho de conscientização para os pais?
— Não acho assim. Anjo da Cara Suja é uma estória terna, que narra à simplicidade infantil em uma época em que as crianças tinham mais tempo para brincar e ser feliz, vivendo longe dos privilégios da vida moderna, em que são presas no mundo da tecnologia e se esquecendo desse prazer de brincar na rua e poder construir uma amizade saudável com adultos ou crianças.

Qual sentimento é descoberto ao saber que alguém leu sua obra, gostou e indicou?
— É o sentimento de perceber o quanto vale a pena ser um criador de fantasias e sonhos. É muito gratificante quando a gente, por exemplo, recebe um simples bilhetinho de uma criança desconhecida que diz: Li seu livro, gostei e me senti dentro da estória; senti-me transformando em seu personagem.



quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Entrevista com Musah Motta

Que tal um envolvente romance baseado em fatos reais? Segue um agradável bate papo com a autora do livro Nalva, nos bastidores do amor, Musah Motta.


Por que escrever?

Porque a escrita, é a arte em perfeição, a revelação de todos os segredos, e fala de todo pensamentos secreto. Sim! O documento mais necessário, a escrita é vida, e libertação!

NALVA, Nos Bastidores do Amor, fala de um autoconhecimento? O que a trama deseja passar para o leitor?

Não, Nalva, fala de conhecimento para um todo, um olhar da situação pela semiótica! A traga carrega o desejo de despertar a opinião do leitor, em relação as questões abordadas; como Religiosidade, homossexualidade, preconceitos, pedofilia, e valor humano.

Qual sentimento é descoberto ao saber que alguém leu sua obra, gostou e indicou?

Ah! Isso é maravilhoso, é sem igual no mundo! Eu fui muito favorecida em escrever Nalva, se eu não o fizesse outro o faria.



quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Entrevista com a Escritora Lilian Reis

Em sua vida já houve uma mudança radical que te deixou revoltada? 
Conheça um pouco da história de Jade e se emocione com o que ela viveu, e melhor com o que ela aprendeu.
O livro EU, MEU PAI E MEUS OUTROS AMORES é baseado me fatos reais?

Não.

O que você faria se descobrisse que lhe falta o chão?

Pra falar a verdade, não sei. Rsrsr. Acho que depende do problema. Eu quis propor exatamente que se pensasse nesse tema.

Fale um pouco sobre essa menina eclética, a Jade personagem principal do livro.

Jade é uma garota extremamente romântica, do tipo que escreve em diários e sonha com o amor. Sofre quando uma tragédia acontece em sua vida e a obriga a se mudar para uma fazenda. Lá é que tudo acontece...



domingo, 13 de outubro de 2013

Entrevista com a Escritora Lu Piras

           Para quem gosta de Anjos, que tal conhecer um pouco sobre Equinócio? Vamos lá! 
           Nessa agradável conversa com a escritora Lu Piras, vamos conhecer um pouco sobre suas obras.


Oi Lu, seus livros Equinócio, A última nota e Polaris, são parte de uma trilogia?

      Olá, Iris! Muito obrigada pelo convite para esta entrevista. É sempre um prazer falar de literatura. Equinócio é o nome de uma série de 4 livros sobrenaturais, da qual “Equinócio – a Primavera” é o primeiro e “Polaris – o Norte”, o segundo. O livro “A Última Nota” é uma obra única, um romance, escrito em coautoria com o Felipe Colbert. Não faz parte da série.

Percebo que seus livros falam sobre anjos. Conte-nos um pouco sobre esses anjos.

     Os anjos da série Equinócio são os anjos mais reais que eu poderia me permitir criar. Eu busquei a inspiração nas histórias de anjos que sempre ouvi quando pequena da minha avó e pesquisei em enciclopédias e até em livros de física que relatam a existência deles. Em Equinócio, tento explicar os anjos com verossimilhança e, não à toa, muitas leitoras deixam a janela aberta à noite a espera dos seus anjos da guarda, rs. 




domingo, 6 de outubro de 2013

Entrevista com a Escritora Lya Gallavote

Oi gente, mais uma agradável entrevista com nossas queridas escritoras. Hoje com a autora do livro O som do fogo, Lya Gallavote.


Laura passa por algum tipo de trauma ao ver a empresa da família se acabar entre as chamas?

         Foi um choque para todos, afinal era do estúdio de música de seu pai que a família tirava todo o recurso financeiro para manter as contas em dia. Laura e o seu irmão mais velho, Raul, estão cursando a Faculdade de música e isso a preocupa, pois não sabe se conseguirá continuar estudando.

O que você pode dizer, sem tirar o brilho desse conto, alguma coisa que possa despertar ainda mais nossa curiosidade sobre o livro O som do fogo?

       Laura é uma garota alegre, determinada e persistente. Ela tem uma personalidade forte, que eu procurei escrever, pensando em espelhar nas garotas de hoje em dia.  Enzo é amável, educado é o garoto que toda menina gostaria de conhecer. Miguel é o galã, conquistador, capaz de mexer com os sentimentos de uma garota, a ponto dela querer largar tudo para ficar com ele.



terça-feira, 1 de outubro de 2013

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Entrevista com a Escritora Márcia Albuq

Que tal viver uma vida de cigano? Conhecer seus costumes, passear pelo mundo? Faça parte dessa emoção com a autora do livro Comprometida, Márcia Albuq. 


Os ciganos são prometidos pelos pais para casarem ainda quando jovens?
Para escrever sobre os ciganos, pesquisei muito sobre eles e particularmente me encantei. Em todo material que encontrava era uma constante as tradições. Eles são extremamente tradicionais e fiéis às crenças. De acordo com pesquisas, o casamento é uma forte tradição entre os ciganos, porque além de representar laços entre os povos, é a continuidade da comunidade, por isso que não é permitido o casamento entre ciganos e não ciganos. A menina desde criança costuma ser prometida em casamento e os acertos são feitos entre os pais que desejam unir as famílias. Antes do casamento oficial os noivos não devem ter intimidade alguma. Atualmente, apesar de estarmos num tempo tão moderno, para muitas comunidades ciganas a virgindade da noiva ainda é exigida e caso ela não seja virgem, ela pode ser devolvida aos pais que devem pagar uma indenização aos pais do noivo.  



sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Entrevista com a Escritora Josy Stoque

Oi gente, nesta entrevista vamos tentar descobrir o segredo de Insensatez... Quem vence o amor ou a sedução? Acompanhe nosso bate papo e fique conhecendo um pouco mais sobre essa história envolvente.


Josy em sua opinião quem vence o amor ou a sedução? Brincadeira, não nos conte o mistério da história, mas nos diga como se chamam os personagens e como se conheceram?

       Acho que um pode levar para o outro. Aí que manda é o destino. (risos) Marco e Isadora são os protagonistas e narradores do romance hot Insensatez. Eles se conheceram em uma cidadezinha do interior de São Paulo, bem próxima à capital, quando Isa estava à procura de algo para fotografar e se estatelou no chão quando viu Marco pela primeira vez através da câmera. Ele a socorreu e então eles começaram a namorar. À época, ele tinha vinte e ela dezesseis anos.

Entre uma mulher tímida e dedicada e um homem ousado e sedutor, seria possível sustentar um amor, ou tudo não passaria de mais um momento?

         Bem, a Isadora não tem nada de tímida e delicada, talvez quando ela era uma adolescente e pouco conhecia da vida. Mas realmente acho difícil uma mulher com essas características suportar viver ao lado de um homem que não se apega. Por isso mesmo, Marco deixa Isa para trás e vai correr atrás de sua promissora carreira de modelo no Rio de Janeiro.



quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Entrevista com a Escritora Joice Lourenço

Olá, gente! Nosso bate papo de hoje é com a autora do livro Simplesmente Ame, Joice Lourenço! Vamos conhecer um pouco sobre sua obra e sua vida. Sejam bem vindos!


Estaria Melissa passando por uma crise existencial depois que perdeu de seus braços o amor de sua vida? Quantos anos de idade tem a personagem principal do livro Simplesmente Ame?

             A personagem Melissa tem seus 21 anos. Depois que “perdeu” o amor da sua vida, ficou confusa e perdida. Por que as coisas aconteceram tudo ao mesmo tempo, o segredo de seus pais e o segredo de Érique, ela realmente ficou magoada com ele, mas apesar de tudo isso, ela reuniu forçar para seguir adiante. Mas não é tão fácil assim quando volta e meia está rodeada por Érique. No entanto, apesar de término repentino e sem explicação não passou por crise existencial, apenas estava tentando compreender tudo o que estava acontecendo, o que era realmente muita coisa pra ela.

domingo, 22 de setembro de 2013

Entrevista com a Escritora Raquel Pagno

Que tal uma viagem por Paris? Vamos curtir juntos essa história? Então acompanhe nossa entrevista com a escritora Raquel Pagno.


A história do livro Herdeiro da Névoa acontece em Paris?

          Sim. A estória começa quando Inácio ganha uma bolsa de estudos na Sorbonne, em Paris.

O que você diria para alguém que deseja usar uma identidade falsa, embora, por um motivo muito forte, que seria a realização de um sonho?

          Não faça isso. A mentira tem a perna curta. rsrsrs

Conte-nos um pouco sobre a personagem Chloé Champoudry, a mesma que despertou interesse em Inácio Vaz, o deixando completamente confuso no momento em que a viu.

           Chloé é uma ruiva estonteante, misteriosa por quem Inácio fica louco e irremediavelmente apaixonado a primeira vista. A obsessão de Inácio o leva a procurar por ela e, por incrível que pareça, a encontra e os dois acabam tendo uma inesquecível tarde de amor.  Porém, todos pensam que Chloé está morta... Será que o Inácio é doido?


quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Entrevista com o escritor Marzo Deutsch

Você já viveu Entre Deus e o Caos? Conheça um pouco sobre essa magnifica história, escrita pelo autor Marzo Deutsch e viaje pelo universo por ele descrito. 


A história de Joh Goeth foi baseada em fatos reais?

           Absolutamente. Joh Goeth na verdade é um encontro com o meu eu. Porém, coloquei meio que abreviado o nome Johann Goethe, por termos peculiaridades no gênero literário, claro que sem fazer uma analogia com ele.

O livro Entre Deus e o Caos, fala sobre fé, crença e religião?

           Também, todavia transformado em um embate em que os seres têm quando se vêem em conflitos voltados para as frustrações do dia-a-dia em todas as circunstância como perda, desamor, frustrações, falta de esperança, dor  e os questionamento em relação aos propósitos de Deus.



segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Entrevista com a escritora Dill Ferreira

            Acredite, o verdadeiro amor, pode está bem pertinho de você!
Vamos conhecer um pouco sobre o livro "Amor, indeciso amor" com nossa adorável autor,a Dill Ferreira.



Seria o amor capaz de resolver as dúvidas de um homem?

           O amor é a essência de tudo o que é bom, então acredito sim, que ele resolva, ou pelo menos inspira a resolver.
Ao se apaixonar por alguém da mesma empresa que se trabalha é algo muito comum não acha? O que diferencia nesse romance Amor, indeciso amor?
Ele não seria a diferença e sim o grande marco de relacionamentos que começam em âmbito profissional. Usei esse ambiente porque nele dedicamos grande parte de nossos dias. Com sou romancista contemporânea, preciso escrever o que esta em destaque. Nas empresas há muito o chamado “fogo de palha”. Mas assim como no livro pode surgir um grande amor de verdade, fiquem atentos!!!!

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Entrevista com o escritor Victor Canti

Para quem ama poemas, vai se apaixonar pelo livro Pensar em Pensar! Conheça um pouco sobre a obra e a vida do escritor Victor Canti através desse adorável bate papo.

Como um jovem, aos 17 anos de idade pensa a poesia, e qual a diferença uma década depois?

          Quando comecei a escrever poesias, elas surgiram como uma maneira de expressar sentimentos de insatisfação, sendo que estes sentimentos eram direcionados tanto aos problemas do mundo quanto aos meus próprios problemas, fazendo com que estas primeiras poesias fossem caracterizadas pela crítica da sociedade e pela autocrítica.
Hoje em dia eu percebo que o espectro de possibilidades da criação poética é amplamente maior, e os limites da poesia não estão de maneira alguma definidos. Quando analiso os diferentes poemas que escrevi durante todo este período, tenho um sentimento de extrema satisfação, porque vejo que de algum modo consegui retratar os momentos vividos e muitos pensamentos que me mudaram e foram mudados ao longo do tempo. Além dos conteúdos, as formas igualmente se alteraram, e é nesta relação entre forma e conteúdo que penso residir a essência da poesia.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Entrevista com a escritora Andréa Menezes

Que tal se permitir? Com o livro Permissão, você irá entender como e porque se permitir a viver uma nova vida, e a autora dessa obra soube muito bem passar isso para nós! Então, permita-se a degustar dessa entrevista e conhecer um pouco sobre o livro Permissão.

Qual a mensagem do livro Permissão?

          É mostrar aos leitores que nós permitimos tudo aquilo que passamos na vida. Que ao invés de ficar culpando as pessoas, coisas e fatos, devemos rever sempre nossas condutas. Tento nele fazer com que as pessoas despertem para a grande felicidade que é viver, antes que a vida não dê mais esta chance.

O que significa Permissão para você?

           Significa tudo hoje, é nela que me baseio para ser quem eu sou.
Levanto e me pergunto?
_ Quem eu quero me permitir ser hoje?
_Quem eu vou permitir interferir em minha vida?
Então, sou eu que faço a minha permissão.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Entrevista com a escritora Glauce Leite

O que será que As Princesinhas do Século XXI pensam? Que tal dar uma olhadinha no Bate Papo com a escritora Glauce Leite? 

De quem partiu a ideia da coletânea As princesinhas do Século XXI?

          A ideia inicial foi minha mesmo. Queria escrever um romance, mas depois conversei com uma amiga que trabalha no ramo da literatura e ela me incentivou em fazer a coletânea. Algumas pessoas que trabalham comigo também me incentivaram.

Qual a ideia do livro?

          A ideia é basicamente sobre a mulher adulta que vive entre as aflições e alegrias da vida moderna.

Você já começou a escrever seu próximo 
livro? Sobre o que ele nos conta?

          Estou escrevendo bastantes poesias. Acho que estou numa outra “onda literária”. Mas pretendo escrever muitos outros contos ainda.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Entrevista com o escritor André Lima

O que você diria sobre um amor além da vida? André Lima, autor do livro, nos conta como desenvolveu e se inspirou para escrever uma obra tão envolvente e apaixonante. 



Você acredita que o amor faz sofrer? Dizem que o amor não rima com dor, o que você acha?

          Sim faz bastante. O amor ele mesmo sem querer, nos faz sofrer. A distância que mata a vontade de estar perto um do outro. O amor é um sentimento que às vezes não tem explicação. Ao mesmo tempo ele pode te deixar feliz, ele também pode lhe fazer chorar.

“Luiz” e “Katyen”, resolveram abrir mão de uma vida para viver uma nova vida juntos (isso me faz lembrar meu próximo livro – risos). Bom, o que você quer nos passar com essa história, Um amor além da vida?

          Aproveite cada segundo de sua vida ao lado de quem você ama, por que um dia ela pode não estar ao seu lado quando mais precisar. Ame intensamente, viva cada segundo, como se fosse o ultimo de sua vida.

Entrevista com o escritor Carlos Eduardo Batista

Já parou para pensar quem está no volante? Então leia essa entrevista com o escritor Carlos Eduardo Batista, e pergunte-se se quem está no volante de sua vida! 
  


Tema muito interessante do livro “Quem Está no volante?” Mas, porque querer ajudar as pessoas a se conhecerem?

Primeiramente, acredito que seja instintivo em todos os seres o poder de ajudar o próximo.  Alguns em maior intensidade, como no caso de pessoas que participam integralmente de programas voluntários, e outros em menor escala, como ceder o lugar para outra pessoa sentar no ônibus coletivo, por exemplo.
Em segundo lugar, se você está no avião e a cabine despressuriza, a orientação é para você colocar a máscara, primeiro em quem? Se eu quero ajudar alguém que achei na estrada com problemas no carro, mas não tenho ferramentas e não entendo de mecânica, como vou fazer? Isso me levou a escrever sobre perguntas assertivas. Percebo que existe muito boa vontade das pessoas em contribuir com as outras, mas faltam “ferramentas”. Saber encaixar a pergunta certa, no momento certo, em minha opinião, faz toda diferença. 

Entrevista com o escritor Emerson Luiz

Vamos conhecer um pouco sobre Uma História Venturosa? Leiam e envolvam-se nessa agradável entrevista com o autor Emerson Luiz

Por que eternizar a vida de uma cidade?

         Já diz o ditado que “recordar é viver”.  A cultura é um bem imaterial e deve ser preservado e a cidade de Venturosa, embora tenha um grande número de artistas, poetas e fatos importantes em sua história, não possuía nenhum relato sobre isso. Muito do que se sabe hoje sobre os primeiros anos da cidade vem de relatos orais das pessoas que presenciaram sua história, e essas pessoas já tem certa idade. Preservar a história de uma cidade é também preservar sua cultura e sua identidade.

sábado, 7 de setembro de 2013

Entrevista com o escritor Robson Gundim

Quem já pensou em viajar Entre o Céu e o Mar?
Então aproveite para curtir a entrevista com o escritor Robson Gundim e conhecer um pouco sobre essa magnífica viagem.


Como surgiu a ideia de escrever esse envolvente romance, Entre o Céu e o Mar?

          A ideia surgiu a partir de um sonho. Na realidade, sempre gostei muito de livros, e a leitura diária me proporcionou muitas ideias. Outros fatores também contribuíram para a influência, como por exemplo, outros livros, desenhos, jogos e filmes. Sempre adorei a sétima arte, e alguns jogos causaram em mim um grande impacto na época em que dei início ao romance. Na introdução do livro, há, inclusive, uma nota especial, abordando as referências e porque são tão importantes a ponto de merecerem destaque. Livros como “Drácula”, “A ilha do tesouro”, “O último dos moicanos”, “Tarzan”; jogos como “Castlevania”, e filmes clássicos de Sergio Leone e outros de Quentin Tarantino, me ajudaram muito.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Entrevista com a escritora Andriana Freitas

Mais um adorável bate papo para conhecermos um pouco mais sobre essa pessoa e profissional tão bacana, Adriana Freitas! 


Que sentimento é alimentado ao escrever? Gosto de repetir esse pergunta para alguns autores, porque é um sentimento único.

          O sentimento é variado.  Às vezes é de realização, às vezes de alívio. A minha mente de vez em quando fervilham mil e uma ideias, é difícil conseguir não pensar em nada. Eu sempre estou pensando em alguma coisa. Sou muito dispersa e a escrita me ajuda a me focar, a expressar alguns sentimentos e sensações.  Às vezes me sinto mais leve e feliz quando escrevo.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Entrevista com o escritor José Nunes

Olha eu aqui outra vez! Agora entrevistando o escritor José Nunes, que nos conta um pouco sobre seu livro Reversos.



Quando você escreve, está pensando em quem ler ou em o que quer transmitir?

Quando escrevo tento transmitir a ideia, o sentimento que senti naquele momento, ou ainda sinto.

No livro Reversos, fala sobre que tipo de amor?

Não considero que o livro Reversos fale só sobre amor, no entanto falo de paixões passadas e de um amor ainda actual.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Entrevista com o escritor Hermes M. Lourenço

Olá, Gente! E para abrir nossa quarta-feira, vamos compartilhar essa adorável entrevista com o escritor Hermes M. Lourenço





Que sentimento é alimentado ao escrever?

          Para se escrever qualquer gênero literário, acima de tudo, tem que amar o que se faz e isso não se aprende em nenhum curso ou faculdade.  Posso lhe assegurar que este é o grande diferencial entre um ”bom livro” e “mais um livro”. Mas amor também não é tudo. Tem que agregar o conhecimento técnico para saber colocar a ideia no papel.
Sofri muito com minha primeira publicação “O Enigma do Fogo Sagrado”, quando descobri que tudo o que sabia sobre escrita literária era apenas a “ponta do iceberg”. Isso custou doze anos de estudo de livros técnicos e ainda hoje mantenho meu aperfeiçoamento sempre na busca de novos conhecimentos para surpreender e envolver meus leitores.
Já tive a oportunidade de ler livros com premissas geniais, porém sem nenhuma técnica na hora de escrever.
Isso prejudica muito o autor, pois o leitor irá criar uma impressão negativa já nas primeiras publicações.
Sem fugir do assunto, particularmente o sentimento que mais me persegue quando estou escrevendo é a obsessão pela busca da perfeição literária.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Do livro "Vai entender..."



 Estava ali, diante de seus olhos, como um objeto de desejo por trás de uma vitrine de loja, e logo abaixo a etiqueta com o seu valor. Caro, muito caro! Uma aliança de mais ou menos cinco gramas de ouro definia que seu valor era totalmente inacessível ao seu coração.
                                                                           (do livro "Vai entender..." - Iris Albuquerque)


domingo, 1 de setembro de 2013

Entrevista com o escritor Fernando Mendes

          Mais uma entrevista para vocês queridos, leitores! 
O papo agora é com o Fernando Mendes, o escritor do livro O contrário de Roma!


Por que escrever?

     Eu sempre gostei de produzir artisticamente. Eu já pintei, desenhei e criei jogos, mas a escrita é a mídia em que eu consegui me expressar melhor.

Em que cidade você nasceu? Fale um pouco de onde você mora.

     Eu sou do Rio de Janeiro. Fora ter nascido na Glória, cresci e sempre vivi no Méier. Apesar disso, não conheço muito da cidade maravilhosa...

Por que o Título “O Contrário de Roma”?

     Acho que isso é melhor deixar para os leitores descobrirem ao ler.

Quantos livros já publicados?

     6. O primeiro, 6 passos 44 Centímetros, pela Multifoco. O Contrário de Roma, pela Ed. Litteris, e os outros 4 pela AgBook

Entrevista com o escritor Paulo Novaes

       Hoje, nosso Blog recebe a visita do escritor Paulo Novaes! 
Conheçam um pouco sobre o autor e sua obra, envolvendo-se com nosso bate papo a seguir. 


Como surgiu Quando os ventos são contrários?

     O livro foi baseado nesse mundo louco onde vivemos, onde se dá mais valor ao ter do que ao ser. Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde. Hoje em dia conhecemos o preço de tudo e o valor de nada. E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem-se do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro.

O que você quis dizer quando escreveu que “O escritor deve ser, acima de tudo, sensível aos sentimentos humanos, e tentar sempre passar a sua verdade interior”?

     Para obtermos certo prazer na vida, é necessário algum esforço, narrar uma boa história, cuja meta seja o esclarecimento. Através de uma linguagem simples e direta, buscando identificar com exemplos comuns do dia-a-dia comportamento e atitudes que, certamente, ajudarão o leitor a conviver melhor, porque nada substitui a verdade.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Pensamentos meus

                Realmente existem coisas que somente o coração é capaz de explicar, e às vezes, mesmo encontrando alguma explicação qualquer, não adianta só virar a página do nosso livro da vida, muitas vezes precisamos rasgá-la!
                                                                                                           (Iris Albuquerque - 2009)

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Entrevista com a escritora Daniele Nhasser



                        Olá gente! E para inaugurar meu blog, a "blogueira e escritora"  Daniele Nhasser, vai contar um pouco sobre sua vida e sobre sua obra literária “Amor és Real”.


      Daniele, com quantos anos você começou a escrever? Quem te inspirou?
      Comecei a escrever aos 14 anos, poesias de amor. Na quinta série me apaixonei pela primeira vez e os livros que eu lia não conseguia expressar os sentimentos por "aquele garoto", então passei a escrever meus próprios textos para enviar a ele, claro que na hora H, não enviei nada. Após isso, escrever virou rotina, hoje com 21 anos totalizo mais de 300 poesias, e 6 romances , com o sétimo em andamento !

      Como é visto para você esse mundo mágico onde os escritores desejam compartilhar suas histórias?
      Sempre fui uma rata da biblioteca, e meu sonho era poder ler todos os livros do mundo! Infelizmente ao crescer cheguei à conclusão que isso é impossível, então me contentei em seguir alguns autores, assim esses poderia ler todos. Eu amo esse universo e sinto pena de quem ainda não encontrou a porta para esse paraíso.

domingo, 11 de agosto de 2013

Dia dos Pais

Feliz dia dos Pais, para todos os Pais do mundo!
E um especial para meu Pai!



Início

Olá gente,
Estou iniciando aqui meu Blog, e assim falar um pouco sobre meus livros.
Entrevistar autores nacionais e responder os comentários.
Espero que gostem e que participem.
Uma semana maravilhosa e abençoada para todos!