quarta-feira, 11 de junho de 2014

Entrevista com o poeta Valque Santos

Os sentimentos são para serem falados, demonstrados ou escritos?
Falar de amor é para poucos, mas Valque tem a ferramente certa, quando precisa esculpir com letras os sentimentos ali guardados em seu peito.
Nosso bate pado a seguir, mostra um pouco sobre seus poemas e seu novo lançamento.



O que traduz os poemas?

        A linguagem do amor sem constrangimentos, sem receios. Bem assim é este livro. O sonho de um apaixonado é diferente do sonho de quem não sabe amar. Não requer planejamento. E voa com a liberdade que o coração permite. Normalmente as pessoas desencantadas, que colocam a razão em primeiro lugar, “áridas”, temem ser taxadas de sonhadoras, de que vivem fora da realidade. Por isso, quando não reprimem totalmente os sonhos, controla-os com suas amarras de realidade. E a vida fica cada vez mais chata. Já o apaixonado deixa o espírito solto, libera a criatividade para reinventar a vida, nas cores que ela supõe mais bonitas. A vida pode ser um arco-íris. Por isso, estar amando é uma fase linda da existência humana na terra. E também a mais sensível. É sobre tudo isso de que fala as poesias do meu livro Além da Solidão. Do homem que sonha que ainda acredita no amor. De quem se decepcionou algumas vezes, mas continua acreditando na poesia.

Você se considera um eterno apaixonado?

        Sou um eterno apaixonado, por deus, pela vida e amor. A vida passa tão apressada e com ela nos leva também com tanta pressa que nunca temos tempo pra nós mesmo. Então temos que nos amar o máximo.

Quais teus principais motivos para persistir na vida como escritor? Além de seus outros trabalhos, claro!
        A vida sempre nos surpreende e muitas vezes nos encontramos “Além da Solidão”. No encontro de nossos dons. E não podemos fugir a essa regra. Como numa junção onde engavetamos sonhos que teimam em tornar-se realidade, digo-lhes que a poesia não faz parte da minha vida profissional, mas está envolvida na minha vida afetiva. Na emoção de fazer o que gosto, falar de amor, de uma intimidade em forma de versos líricos, soltos, longe das métricas que o português exige.

Você tem algum poema preferido, ou todos são como filhos, amados por igual?

        Todos os poemas são para mim como um filho, gosto de todos, uns nasceram de um parto sem dor e outros me fazendo quebrar à cabeça com as métricas e algumas estrofes, mas sempre com o mesmo amor, o mesmo lirismo. É como a aporrinhação da minha mãe quando na minha solidão “escrevendo” Ela gritava da cama: Apaga essa luz e para com o barulho dessa máquina. Esse é um dos momentos que nunca esqueço no início da minha vida literária. “Além da solidão”, um livro de 100 páginas. Foi escrito, portanto, a partir de uma matéria-prima muito delicada. Trata da capacidade que os poetas românticos têm para elaborar os sonhos. Ou seja, o amor. E dessa forma, codificar e decodificar o mundo. De criar as realidades românticas de todos nós, sejamos ou não poetas. Românticos.

O que podemos esperar de “Nunca Vou Esquecer de Me Lembrar”, seu próximo livro?
        Sinto-me realizado em poder transmitir com palavras e sentimentos que nos levam a concretizar sonhos e desejos. Acorrentados por uma feição profunda que denominamos de amor, nos transportando para um mundo de ilusão. Vivemos procurando entender o motivo que nos leva a lutar por uma vida que no final nos levará a morte. Tenho certeza que a reposta certa é o amor que sentimos pelo nosso ser. Acho que aprendi a amar bem antes de conhecer o mundo ainda no útero da minha mãe. Pois tudo que tive na vida soube amar mesmo sofrendo na hora da perda. Gostaria que meus leitores ao se aprofundarem na leitura sentissem o desejo de se verem envolvidos pelos meus personagens que foram idealizados com amor e dedicação.

Segue abaixo um pouco sobre a vida desse talentoso Poeta que, além de romântico é um eterno apaixonado pela vida e pelo Dom de escrever.

        Valque Ramos dos Santos, nascido em 25/11/1959. Filho de: Romildo Ramos dos Santos e Djanilda Albino dos Santos. Pernambucano, de Recife, atualmente morando em Jaboatão dos Guararapes/PE. Além de publicações esparsas em jornais e revistas, tem editado: Amizade & poesias (Recife, ed. do autor, 1982); Dez poemas d’um amor total (Recife, ed. do autor, 1983); Quatro poemas de rua (Recife, 1985. Ed. do autor, 1ª. ed); Poemas, contos e crônicas inesquecíveis – antologia (Recife: Novestilo, 2001); Jóias da literatura brasileira – antologia (Recife: Novestilo, 2002); Além do olhar. Antologia (Editora Celes – São Paulo 2014) Além da solidão - poesia (Recife: Editora Babecco - 2014). Valque Santos é Conselheiro no Conselho de Cultura e Políticas Públicas Municipais de Jaboatão dos Guararapes/PE. Representado a Academia de Artes Cidadã. Participou da 2ª Conferencia de Cultura do Município de Jaboatão dos Guararapes. Ganhou o 3º lugar no 2º Prêmio Solano Trindade de Poesia Afro-brasileira Em Jaboatão dos Guararapes com a poesia “Sou Negro e um pedaço da África” Participou do Fórum PROMAC Programa de Atitude Cultural. É Acadêmico na ALJG - Academia de Letras de Jaboatão dos Guararapes/PE Cadeira de Nº 4 - Patrono: Poeta Joaquim Cardoso. Próximo lançamento em setembro/2014. Nunca vou esquecer de me lembrar de você – Romance.

Onde seus livros são vendidos?

Pessoalmente. Por telefone. Pelo facebook. Pelo Site da editora www.babecco.com.br e em bancas de revistas no centro do Recife/PE Contato - valquersantos@hotmail.com